Detalhes

Crea-ES marca presença em simulação de desastres promovida pelo governo do estado

Publicado em 16 de novembro de 2021 às 17:04, com última atualização em 24 de novembro de 2021 às 13:17

O Crea-ES participou de um simulado organizado pela Defesa Civil estadual, em parceria com o Corpo de Bombeiros, na última quinta-feira (11/11). O objetivo do evento foi acompanhar a atuação de cada órgão estadual ou federal frente a um desastre civil ou ambiental grave.



O treinamento consistiu na criação de uma situação hipotética de enchente extrema, com diversos fatores e variáveis, como volume de chuva, edificações danificadas, pessoas soterradas e mortas em quatro municípios diferentes do Espírito Santo. A partir daí, diversos órgãos se encarregaram de procurar soluções ou outras ações que auxiliem o resgate de sobreviventes e o controle do desastre.


O assessor de engenharia Eng. Mecânico Igor Dadalto representou o Crea-ES no simulado. Desde as 7 da manhã o engenheiro participou das apresentações e atividades preparadas pela Defesa Civil e liderou a atuação do Conselho no desastre.


“O Conselho atuou oferecendo apoio por meio do envio de especialistas para analisar os riscos relacionados a edificações no desastre e, também, após a amenização da situação, o envio de equipes para averiguar as construções e preparar laudos técnicos, para saber se é seguro voltar a frequentar o local”, informou Dadalto. “Além disso, nossas inspetorias também foram oferecidas para qualquer tipo de apoio aos outros órgãos e instituições”.


O tenente coronel Vassoler também comentou a importância dos simulados para alinhar a atuação de todos os órgãos no momento de lidar com um desastre.


“É esse trabalho conjunto, de diversos atores que, no final das contas, promove o sucesso na gestão do desastre”, disse Vassoler.  “Cada agência, sejam os bombeiros, seja o Crea ou qualquer instituição que participe, tem a sua especialidade, tem seus recursos humanos e materiais e o benefício está na contribuição de cada um com seus recursos disponíveis que, quando juntos e coordenados, vão produzir um resultado melhor do que quando utilizados isoladamente”, completou.


O militar ainda informou que há previsão de mais dois ou três simulados em 2022, ainda sem data marcada.


Clique aqui para voltar